Abuso Sexual

Hoje vou abordar um tema MUITO IMPORTANTE E POLÊMICO que existe há anos e agora, com essa quarentena, vem vindo a tona e as redes de notícias vem dando mais atenção.

Eu mesma fui abusada pelo meu próprio pai quando eu era menor de idade. Só agora, depois de anos tive coragem de abrir para o mundo.

Meu objetivo, hoje, é lutar para que este não seja mais um Tabu, quero dar voz a TODOS os que querem falar, mas por algum motivo pessoal ainda não o fez.

Quero lutar para que você se sinta bem para falar, mesmo que doa, para que toda a justiça seja feita.

Venho estudando e procurando ajuda para entrar em contato com vereadores e redes televisivas para que possamos tornar isso um movimento legítimo e para que a pena do criminoso seja aumentada.

Já há uma pec rolando para que esse crime HEDIONDO seja IMPRESCRITÍVEL! A PEC 75/2019.

Afinal, só quem o sofreu sabe o seu tempo para falar sobre isso, sabe a dor que carrega e o no na garganta, além de traumas terríveis.

E já há um projeto de lei que visa aumentar as penas destes crimes. PL 655/2019. Porque as penas de hoje são muito brandas e acaba acontecendo o que acontece, o criminoso sai em em cumprimento de regime semi aberto e volta a cometer o mesmo crime.

Existe aí um outro problema em nosso sistema, esses criminosos deveriam receber tratamentos e acompanhamento psicológicos, antes de saírem em liberdade.

Após tomar coragem para falar e pesquisar muito, CRIEI UM GRUPO NO FACEBOOK COM VOLUNTÁRIOS ESPECIALIZADOS PARA AJUDAR AS VÍTIMAS.

O grupo é destinado a dar apoio às vítimas de abusos sexuais de qualquer tipo, com a devida confidencialidade de seus participantes.

Lá as pessoas encontraram apoio, proteção, meios de conviver/viver com essa ferida que levamos para sempre.

Estamos (voluntários) a disposição para ouvir, dar atenção, palavras de apoio e o que mais precisar para ajuda- las a conviver ou até mesmo superar essa dor!

Ouvir, incentivar, dar uma palavra de apoio, aconselhamento e também ACONSELHAR, aqueles que nunca passaram por isso, mas que se importam com os seus e querem saber mais a respeito de como reconhecer sinais e como agir.

Dentro do grupo damos suporte voluntário de terapias, assistência social, jurídica, entre outros.

E também fazemos lives sobre esse tema, que estão disponíveis no YOUTUBE https://www.youtube.com/channel/UCgYVJ1UfebCVVjbWOUFVwRw

Não esqueça de se inscrever para acompanhar todos os conteúdos.

Abordamos também sobre a importância da prevenção e como fazer isso, inclusive, ensinando como conversar com as crianças sobre isso.

Se você tem interesse ou precisa de suporte emocional, clique no link para entrar no Grupo, lembrando que é um grupo privado e totalmente confidencial https://www.facebook.com/groups/622089345323112/?ref=share

Enfim, deixo aqui uma informação muito importante.

Unidas(os) somos mais fortes!

Estou aqui, disposta a dar a minha cara a bater, para lutar por TODOS os que sofreram ou sofrerão do mesmo.

Um abraço cheio de carinho.

Publicado por Andressa Trevizan

32 anos, empresária, bacharel em direito, cresci apaixonada pelo mundo da moda, beleza e bem estar. Essa paixão me levou a querer compartilhar minhas experiências e conhecimentos pelo assunto com o público. Uma das coisas que aprendi com a vida foi a importância de você valorizar quem você é e a sua personalidade. Você pode se inspirar em outras pessoas, mas jamais perder a sua essência e, acima de tudo, ser a sua melhor versão. Então se ame acima de tudo!

11 comentários em “Abuso Sexual

  1. Oi Andressa, aos 10 anos fui abusada pelo meu pai e infelizmente convivo com ele ate hoje pois nao tenho condições de sair de casa, eu vivo meu pesadelo todos os dias e morro de medo dele fazer algo com minha filha, eu choro quase todos os dias, desenvolvi tantos transtornos, é uma dor que nao tem fim. Quero ter coragem e denunciar mas tenho medo de ser so mais uma em uma delegacia

    Curtir

    1. Oi querida! Sinto muitíssimo pelo ocorrido e mais ainda pela situação.. conviver com o agressor é terrível.. quanto a sua filha.. você tem que orienta-lá desde pequena. Existem alguns livros e alguns canais que ensinam a conversar com a criança desde pequeninas. Eu faço isso com os meus.
      Quanto a ter medo de ser só mais uma, te entendo completamente, mas enquanto nos, vítimas, permanecermos caladas com medo de tantas coisas que nos passam pela cabeça antes de denunciar, esse crime ainda continuará crescendo e as pessoas ainda não nos darão ouvidos.

      Curtir

  2. Como Saber se o o crime ainda não prescreveu? Ainda me sinto envergonhada, suja e culpada, mesmo sabendo que não sou. Contei para minha irma hoje e umas das coisas que ela me disse é que eu gosto de mulher (apesar de que me entendo como bissexual) por causa disso, mas infelizmente, esse comentário não me surpreendeu. Ainda não contei para minha mãe e meu padastro, mas acredito que eles dirão a mesma coisa, desconfio ainda que minha mãe não acreditará, já que os dois “filhos queridos” dela abusaram da filha caçula. Preciso conseguir falar sobe o assunto sem ficar tão emocionalmente instável.

    Curtir

    1. Amor, primeiramente, sinto muito por ter passado por isso e ainda ouvir esse tipo de comentário de sua irmã, infelizmente passamos por tantas coisas e as pessoas que mais pensamos que ficarão do nosso lado nos surpreende nesses momentos.

      Segundo, infelizmente é muito difícil falar sobre esse assunto sem ficar emocionalmente instável, aliás, um trauma desses nos traz muitas complicações que não só atingem nosso psicológico, mas um todo. Por isso é muito importante fazer acompanhamento com psicólogo e dependendo do caso, com psiquiatra também.

      Esses sentimentos que você tem e completamente normal e popular entre as vítimas e por isso tão poucas falam sobre o assunto e preferem esconder.

      Mas estou aqui pra poder te dar força e dizer que você não está sozinha e que precisamos SIM, falar e fazer essas pessoas pagarem pelo crime que cometeram.

      Quanto mais nos calamos, mais impunes essas pessoas ficam e consequente mais vítimas são feitas.

      Quanto ao aspecto jurídico, como a nossa legislação já mudou aí em 2009 e depois novamente em 2012, e, a lei que se aplica e a do momento do crime, a prescrição varia de caso a caso.

      Sugiro que vá até uma delegacia da mulher para que possa ser orientada.

      ❤️

      Força!

      Curtir

  3. Oii,
    Que trabalho lindo que vocês fizeram! só quem passou por isso sabe como é difícil e horrível, um sentimento que vai carregar pelo resto da vida, inúmeras sessões de psicologia para tratar, trauma, medo, é muito triste e diante disso a gente não pode ficar calados!

    Curtido por 1 pessoa

  4. não podemos nos calar, abuso acontece muito dentro da própria casa da gente né! muito triste essa realidade! Mas agora ninguém nos cala, e vamos mostrar e colocar esses marginais atrás das grades! Sinto muito pelo o que aconteceu com vc, mas é libertador quando colocamos pra fora o sentimento de dor e e angústia! fique bem!

    Curtido por 1 pessoa

  5. Realmente só quem já passou por isso sabe bem como é o trauma, medo e ansiedade que se leva para o resto da vida … Esse é um trabalho corajoso pois envolve muitas pessoas de poder … Parabéns, continue sempre realizando seus objetivos!

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: